Espaço do livro "Itapetininga" (2006)

O espaço deste livro contém as seguintes seções grafadas em verde neste índice:

 

> O autor

> O livro

> Nomes de pessoas estudadas no livro

> Reportagens

> Artigos

> Fotos do arquivo

 

 

O autor

 

Sílvio Vieira de Andrade Filho

    Filho de Sílvio Vieira de Andrade (ex-prefeito e vereador de Guareí, SP, por duas legislaturas) e de Dona Filomena Aparecida Vieira, o autor nasceu na mencionada cidade em 06.10.1944. Em 1971, casou-se com Célia Maria Cruz Vieira de Andrade em Sorocaba, cidade onde o casal vive com os filhos. Em Guareí, o autor fez o curso primário. Fez os cursos ginasial e clássico no Instituto de Educação "Peixoto Gomide" de Itapetininga. Depois da graduação em Letras, concluiu a pós-graduação em Filologia Românica na Faculdade de Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, tendo realizado um estudo contrastivo do sistema temporal das línguas românicas (1970). No ano seguinte, como bolsista do Instituto de Alta Cultura de Lisboa, inteirou-se dos estudos dialetológicos da língua portuguesa na Universidade de Lisboa, Portugal. Este fato foi lembrado por Almeida (1976:25) ao focalizar a genealogia da família do autor. A partir de 1982, Sílvio Vieira de Andrade Filho freqüentou os cursos de Lingüística do Mestrado da Puccamp. Para a obtenção do título de Mestre, elaborou a dissertação "Definido? Uma Proposta Textual para a Descrição do O em Português" (1986). Nesta data, começou a freqüentar os cursos de Lingüística da Universidade de São Paulo e a tese de Doutorado de 1993 resultou na obra "Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores", ISBN: 85-89017-01-X, Secretaria da Educação e Cultura de Sorocaba, 2000. Objeto de reportagens na mídia, esta obra tem levado o autor a congressos científicos e à elaboração de artigos (*). O livro “Guareí”, ISBN 85-904104-1-2, surgiu em 2004 e foi patrocinado pela Prefeitura Municipal e Câmara Municipal de Guareí. Por conta desta obra, o autor tem recebido grande quantidade de emails de pesquisadores e de pessoas naturais do referido município e da região que residem em diversos pontos do Brasil. O livro “Itapetininga”, ISBN 85-904104-3-9, é de 2006. Com este, o autor também tem recebido grande quantidade de emails com apreciações positivas de pessoas que têm vínculos com o referido município paulista e que residem em várias partes do Brasil. A segunda edição do livro "Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores", ISBN: 85-904104-2-0, data de 2009. Cada obra completa as demais.

Obs. - a foto do autor acima é de Mujica por ocasião de uma reportagem de Sérgio Dávila na Revista da Folha de 14.05.1995.

(*) Títulos de artigos estão na página de abertura deste site

E-mail e site do autor

Sílvio Vieira de Andrade Filho (vieira.sor@terra.com.br) tem este site:

 

http://www.cafundo.site.br.com

 

 

O livro

 

Resumo

 

 

    Esta obra trata da formação do município paulista de Itapetininga, desmembrado do município de Sorocaba. Procura estudar também propriedades rurais antigas com os seus proprietários e escravos. A obra serve também para estudos político-econômicos do Brasil antigo, pois contém valores de escravos, de terras, etc. em diversos momentos. A obra traz bairros do antigo e vasto município de Itapetininga bem como nomes de ruas de sua sede. A obra possui genealogias das famílias formadoras de sua população. O livro trata de alguns municípios desmembrados do território itapetiningano. Dentre estes, estão Sarapuí, Pilar do Sul (desmembrado de Sarapuí que antes era território de Itapetininga), Guareí, Tatuí e São Miguel Arcanjo. Período tratado por este livro: dos antecedentes da fundação de Itapetininga que se deu em 1770 até a Abolição ocorrida em 1888. Mapas, documentos e fotos ilustram a obra.
    Expressões e palavras-chave: Itapetininga, desdobramentos, História, sesmarias, economia antiga, propriedades rurais antigas, bairros, escravos, tropeirismo, capelas, cemitérios, antigos proprietários, genealogias, analfabetismo e imigração alemã.

    Observações

     1 - Este livro não trata de comunidades negras e nem de proprietários rurais de determinadas áreas antigas não mais pertencentes ao município de Itapetininga. Tal assunto é específico do primeiro livro do autor cujo resumo também se encontra neste site.

     2 - Este livro pode ser complementado com o livro "Notas e Documentos Complementares", publicado em 2015. Queira vê-lo no painel de abertura deste site ou direto no link abaixo:

      http://www.cafundo.site.br.com/Livro_Notas_e_Documentos_Complementares.html.

 

 

Apresentação

 

Primeiramente, quero manifestar a todos que me sinto muito honrado em fazer a apresentação do livro científico "Itapetininga" cujo objetivo principal é contar a História do município de Itapetininga que resultou de um desmembramento do vasto território de Sorocaba. O livro trata também de alguns municípios vizinhos resultantes de desdobramentos do território de Itapetininga. Assim, o estudo antes da data da emancipação política destes municípios é a História do próprio município de Itapetininga tão estimado pelo autor.

 

Possuidor de total idoneidade moral e intelectual, o autor Dr. Sílvio Vieira de Andrade Filho é incansável pesquisador de nossa região da qual Itapetininga faz parte com intensidade. Além de seus importantes livros de distribuição gratuita que, no mínimo, estão em bibliotecas municipais, escolares e universitárias da região, o historiador e lingüista Silvio Vieira de Andrade Filho também possui na internet dois sites diferentes muito visitados que contêm, dentre outros assuntos, todas as suas atividades como conseqüência de seu trabalho científico (entrevistas, reportagens, artigos, comunicações em congressos, etc.).

 

A presença do autor na cidade de Itapetininga é constante. Ele sempre está buscando inventários, documentos de compra e venda, etc. para os seus estudos. O uso destes documentos originais resenhados em seus livros dá-lhe total confiabilidade.

 

Membro do Instituto Histórico Geográfico e Genealógico de Itapetininga, Sílvio Vieira de Andrade Filho, nestes últimos dez anos, ocupou, em diversas ocasiões, todos os tipos de veículos de comunicação de Itapetininga através de entrevistas, reportagens, artigos sobre suas pesquisas além de artigos sobre curiosidades etimológicas e lingüística portuguesa. Em 14.05.2005, presenteou a população itapetiningana com uma entrevista inédita e esclarecedora sobre Simão Barbosa Franco.

 

Parabéns ao autor por seu patriótico esforço e ao povo de Itapetininga e região que incorpora ao seu patrimônio cultural uma obra de grande proveito para todos os que se interessam por sua bela História.

 

Afrânio Franco de Oliveira Mello

(Do Instituto Histórico Geográfico e Genealógico de Itapetininga)

 

Apresentação

 

Sempre que vou a Itapetininga onde morei muitos anos e onde tenho familiares, encontro-me com colegas contemporâneos. Nas conversas com eles, surgem fatos por nós vivenciados que, infelizmente, já se vão distanciando no tempo.

 

Nas lembranças, está a feira dominical na Avenida Peixoto Gomide, quando a gente aproveitava para bater um papo com os colegas do então denominado Instituto de Educação "Peixoto Gomide" ou do Grêmio Estudantino "Fernando Prestes".

 

Nas conversas com os amigos, vêm sempre à lembrança os elegantes e animados bailes dos clubes Recreativo e Venâncio Aires ao som de tantas inesquecíveis orquestras dentre as quais a Panamérica.

 

Estão também nas lembranças, os passeios em volta da fonte luminosa nos fins de semana e as movimentadas festas religiosas do bairro da Aparecida.

 

É sempre lembrada também a grande queima de fogos por ocasião da vinda dos novos serviços de energia e de iluminação para Itapetininga.

 

Dentre as recordações de futebol, estão os jogos do Derac contra diversos times visitantes, inclusive o Corinthians e o dia em que o serviço de alto-falante da praça central retransmitiu para o povo o jogo entre os finalistas Brasil e Checoslováquia, ocasião em que o nosso país foi campeão do mundo pela segunda vez.

 

Todas estas recordações revelam o meu grande apreço por Itapetininga. E assim sendo, não poderia como pesquisador deixar de dar a minha contribuição para o estudo de sua História que, por ser tão rica, comporta grande quantidade de pesquisas.

 

Sílvio Vieira de Andrade Filho

 

 

Nomes de pessoas estudadas no livro

 

A lista em ordem alfabética contém em sua grande maioria nomes de proprietários rurais. Nos textos do livro, estes proprietários aparecem com os seus cônjuges, ascendentes e descendentes ao lado de fatos históricos provenientes de inventários e outros documentos. A lista é só dos que estão com títulos no livro. Nos textos, aparecem também outros nomes ligados aos nomes focalizados.

 

Américo Aires do Amaral, Américo Antônio Aires, Antônio de Almeida Leite Penteado (Capitão), Bento Correia e Silva, Cláudio de Madureira Calheiros, Domingos de Meira, Domingos José Vieira, Elias Aires do Amaral, Estanislau de Campos Arruda, Felipe Neri Barbosa, Francisco de Almeida, Francisco de Paula Dias, Francisco de Paula Medeiros (Padre), Inácio Dias Batista, José Antônio de Camargo, José de Campos Bicudo, José Ribeiro de França, José Rodrigues Guimarães, Joaquim José de Oliveira, Manuel Batista Prestes, Manuel Joaquim de Andrade, Manuel Joaquim de Góis, Manuel José Braga, Manuel Leme do Prado, Maria da Anunciação, Maria da Conceição, Miguel de Almeida Lara, Pascoal Leite de Morais, Paulino Aires de Aguirre, Salvador de Oliveira Aires, Salvador de Oliveira, Leme, Simão Barbosa Franco, Tomé de Almeida Lara e Urias Emídio Nogueira de Barros.

 

 

Reportagens

Esta seção contém reportagens sobre o livro e o seu autor bem como reportagens sobre atividades do autor. De algumas reportagens, há links. Nesta seção, uma reportagem pode aparecer só com texto ou somente citada em ordem cronológica. Uma mesma reportagem pode aparecer nas duas formas.

 

I - Reportagens com texto

 

 

Historiador em contato telefônico

 

    Em 13.02.2005, o historiador e lingüísta Sílvio Vieira de Andrade Filho recebeu proveitoso telefonema de Messias dos Santos Pereira (foto). Nascido em Itapetininga e residente em Barueri, Messias parabenizou o pesquisador pelo lançamento em 2004 do livro "Guareí" que ele achou de excelente conteúdo. Ao pesquisador Sílvio Vieira de Andrade Filho, Messias afirmou que aprecia muito assuntos históricos, sugerindo-lhe que, na próxima visita a Itapetininga, não deixasse de verificar alguns documentos de grande interesse para o próximo livro do autor que tem como foco o município paulista de Itapetininga. No telefonema, ele indicou ao pesquisador pessoas que colecionam fotos antigas de Itapetininga. Durante o contato, houve ainda intercâmbio de informações históricas, genealógicas e bibliográficas.

 

 

História revela pontos em comum entre Itapetininga e Lages

 

    O Jornal Nossa Terra de Itapetininga de 14-20.05.2005 trouxe com exclusividade a entrevista concedida pelo autor sobre os resultados de sua pesquisa histórica em parceria com Tânia de Arruda Kotchergenko envolvendo Itapetininga (SP) e Lages (SC) em que se destaca a figura de Simão Barbosa Franco. O autor foi muito cumprimentado pela pesquisa e pela entrevista que trouxe novos esclarecimentos históricos. A reportagem também foi publicada na edição on-line do referido jornal e no site Itape Digital - Região On-Line.

 

Sílvio Vieira de Andrade Filho em tese

 

    Em 2006, na tese de doutorado em Lingüística intitulada "Registros de Lutas Discursivas" apresentada à Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) que analisa atas do período 1917-1974 da Escola "Peixoto Gomide" de Itapetininga, a autora Rosineide de Melo incluiu algumas de Sílvio Vieira de Andrade Filho, na época professor da referida instituição itapetiningana.

 

Pesquisador toma posse em Itapetininga

 

   Noite de 23.06.2006. O recinto repleto de convidados, de autoridades locais, regionais e estaduais bem como da mídia. Um coral cantando belas e conhecidas canções do repertório nacional e os hinos oficiais do Brasil e de Itapetininga. Foi assim que ocorreu a posse do pesquisador Sílvio Vieira de Andrade Filho (vieira.sor@terra.com.br) no Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Itapetininga. A cadeira do novo membro tem como patrono Salvador de Oliveira Leme, o Sarutaiá.

 

 

 

 

 

 

 

 

Itapetininga com novo livro sobre a sua História

 

    A fundação de Itapetininga ocorreu em 05.11.1770. No programa de festejos comemorativos a mais um aniversário da fundação de Itapetininga, ocorreu na Câmara Municipal em 30.10.2006 às 20 horas uma sessão solene promovida em conjunto com a própria Câmara Municipal de Itapetininga, com o Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Itapetininga (IHGGI) e com a Diretoria de Ensino da Região de Itapetininga (Derita), ocasião em que foi lançado o livro "Itapetininga" (ISBN 85-904104-3-9) de autoria do pesquisador Sílvio Vieira de Andrade Filho, membro do referido instituto.
    No ato solene, a mesa foi composta de autoridades da educação, do executivo e do legislativo local e estadual, do IHGGI, dos vários segmentos da sociedade itapetiningana e do autor do mencionado livro. Em seguida, ocorreu a execução do Hino Nacional. Seguiram-se os discursos de exaltação a Itapetininga onde não faltaram os dados biográficos do autor bem como o conteúdo de seu livro. A sessão transmitida ao vivo pela Rádio Globo local contou com a presença de vereadores, membros do IHGGI, estudantes, professores e jornalistas dos diversos veículos de comunicação. Alunos de diversas escolas de Itapetininga apresentaram músicas e danças (catira, cururu, etc.) além de pequenas peças teatrais envolvendo o folclore rural. O evento contou também com a apresentação da banda sinfônica municipal que brindou os presentes com nostálgicas músicas da "big band". O evento foi encerrado com o Hino de Itapetininga. Após a solenidade, o autor autografou exemplares de seu novo livro.

 

Onde o livro pode ser consultado

A lista a seguir refere-se apenas a alguns locais. Em Itapetininga, além de particulares, o livro está no IHGGI (Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Itapetininga), na Câmara Municipal, na Derita (Delegacia de Ensino Regional de Itapetininga), na Biblioteca Municipal, em bibliotecas de escolas de todos os graus, em redação de jornais, na Rádio Difusora-Transamérica e no Hotel Itapetininga. Em São Paulo, o livro está no AESP (Arquivo do Estado de São Paulo). Em Itu, o livro encontra-se em sua Biblioteca Municipal e na Editora Ottoni. Em Sorocaba, o livro está na Biblioteca Municipal. No Rio de Janeiro, o livro encontra-se na Biblioteca Nacional. Em Lages (SC), o livro está em seu Instituto Histórico.

 

Livro "Itapetininga" em jornal sorocabano

 

Em 05.11.2006, o jornal Cruzeiro do Sul de Sorocaba publicou na seção Região reportagem com o título "Livro documenta início do bairro Itapetininga" sobre o livro histórico denominado "Itapetininga" do autor Sílvio Vieira de Andrade Filho. A reportagem trata do conteúdo do livro e ressalta a importância do mesmo.

 

Livro "Itapetininga" em site de Porto Feliz

 

Em 06.11.2006, o site da revista "Viu!" de Porto Feliz publicou reportagem sobre o livro histórico denominado "Itapetininga" do autor Sílvio Vieira de Andrade Filho.

 

Biblioteca Municipal de Itu recebe o livro "Itapetininga"

 

Em visita a Itu em fevereiro de 2007 para saldar compromissos referentes a seus estudos, o pesquisador Andrade Filho fez a entrega às autoridades da Biblioteca Municipal de Itu de um exemplar do livro "Itapetininga". Na ocasião, estas expressaram, em nome da população ituana, os seus agradecimentos ao autor ao mesmo tempo em que afirmaram ser o livro "Itapetininga" uma ótima fonte de dados que ampliará o conhecimento histórico sobre o município enfocado e sobre a região.

 

Pesquisador em reportagem de jornal itapetiningano

 

O livro "Itapetininga" que retrata a História do referido município paulista foi mencionado pelo jornal "Folha de Itapetininga" que traz também a foto de seu autor Andrade Filho. O jornal faz também referências ao autor "que se tornou notório em todo o território nacional com suas pesquisas". Outras informações sobre a matéria deste jornal estão logo abaixo na seção "Artigos, atividades do autor e reportagens sobre o livro "Itapetininga".

 

Autor focalizado em reportagem

 

O jornal "Correio de Itapetininga / Jornal Nossa Terra" fez interessante reportagem sobre o livro "Itapetininga" e o seu autor. Esta traz um resumo do livro e alguns dados biográficos do autor que lecionou no Instituto de Educação Peixoto Gomide. A reportagem faz também referencias a outros livros do autor ao mesmo tempo em que sugere ao leitor a consulta de um de seus sites. Outras informações sobre a matéria deste jornal estão logo abaixo na seção "Artigos, atividades do autor e reportagens sobre o livro "Itapetininga".

 

Pesquisador na TV Itapetininga

 

No período comemorativo de mais um aniversário de Itapetininga, o pesquisador Sílvio Vieira de Andrade Filho foi entrevistado em 08.11.2007 no programa Telescópio da TV-I de Itapetininga. Na entrevista, o pesquisador respondeu várias perguntas feitas pelo apresentador Guilherme Aleixo Hungria. Inicialmente, falou de seus títulos acadêmicos e de uma história ocorrida em Itapetininga no século 19. Em seguida, falou sobre a colonização alemã em Itapetininga concentrada no então bairro de Guareí bem como de todas as suas obras e principalmente do livro "Itapetininga" com grande quantidade de documentos obtidos em incontáveis viagens de pesquisas. O pesquisador ressaltou o fato de o livro conter documentos que já nem mais estão no fórum de Itapetininga, pois foram recolhidos pelo governo estadual. Ele falou também da experiência positiva do contato direto que vem mantendo com a população de Itapetininga que está compreendendo bem o seu propósito de ver a população local com sua história amplamente documentada. A entrevista foi completada com a divulgação dos endereços dos sites do entrevistado que cumprimentou o povo itapetiningano pela passagem de mais um aniversário de seu município.

 

Pesquisador em programa radiofônico

 

Em 13.11.2007, Sílvio Vieira de Andrade Filho concedeu entrevista ao programa matinal "Rancho do Felisbino" de Luís Honório de Oliveira ou Felisbino na Rádio Nova Aurora de Itapetininga em comemoração ao aniversário do referido município. Foram tratados os seguintes assuntos: títulos acadêmicos, obras publicadas, resumo do livro "Itapetininga", contato direto com a população, aniversário de Itapetininga, etc.

 

Biblioteca Municipal de Sorocaba recebe o livro "Itapetininga"

 

Em 06.12.2007, a Biblioteca Municipal de Sorocaba recebeu como doação de Sílvio Vieira de Andrade Filho o livro "Itapetininga". O livro, com certeza, será de grande utilidade para os estudantes e pesquisadores da região de Sorocaba.

 

Autor do livro "Itapetininga" na Rádio Transamérica

 

Em 08.02.2008, o pesquisador Sílvio Vieira de Andrade Filho foi entrevistado no programa Bote a Boca no Trombone apresentado por Tuti na Rádio Transamérica AM de Itapetininga. Na oportunidade, o autor falou de suas pesquisas e respondeu muitas questões sobre o livro "Itapetininga".

 

Jornal de Itapetininga divulga livros e sites

 

Todos os livros e sites do Dr. Sílvio Vieira de Andrade Filho foram objeto de notícia com atributos positivos no "Jornal O Município" de Itapetininga, edição de março de 2008. Os sites foram fornecidos aos leitores na reportagem que traz também a foto do pesquisador. Outras informações sobre a matéria deste jornal estão logo abaixo na seção "Artigos, atividades do autor e reportagens sobre o livro "Itapetininga".

 

Autor em programa radiofônico

 

Em 18.03.2008, o autor Sílvio Vieira de Andrade Filho foi entrevistado no programa Bote a Boca no Trombone da apresentadora Tuti na Rádio Difusora-Transamérica AM de Itapetininga. Na ocasião, o autor falou com os ouvintes sobre o livro histórico denominado "Itapetininga", de seus contatos diretos com a população para divulgar o livro, oportunidade em que sente que este tem sido bem aceito pelo público, etc. Outras informações técnicas sobre a matéria esta entrevista estão logo abaixo na seção "Artigos, atividades do autor e reportagens sobre o livro "Itapetininga".

 

O livro "Itapetininga" em reportagem de jornal

 

Em sua edição de abril de 2008, o "Jornal O Município" de Itapetininga traz um resumo do livro "Itapetininga" de Sílvio Vieira de Andrade Filho. Aos leitores foram fornecidos os sites e o telefone do autor na reportagem que traz também a foto do pesquisador e da capa do livro. Outras informações sobre a matéria deste jornal estão logo abaixo na seção "Artigos, atividades do autor e reportagens sobre o livro "Itapetininga".

 

Biblioteca Municipal recebe o livro "Itapetininga"

 

Em 25.04.2008, Sílvio Vieira de Andrade Filho visitou a Biblioteca Municipal de Itapetininga, ocasião em que ofereceu à população um exemplar do livro "Itapetininga". As autoridades que o receberam enfatizaram a importância da doação, uma vez que o livro será de grande utilidade para os estudantes do município e da região bem como para o público em geral. Em 13.05.2008, o autor recebeu ofício com agradecimento da bibliotecária Ivete do N. Pereira que afirma que o livro doado muito enriquece o acervo da referida biblioteca.

 

Autor em site de Guareí

 

Com o título "Guareiense lança livro com sucesso", o site GuareiSp.com.br publicou em 19.05.2008 notícia sobre o livro "Itapetininga" de Sílvio Vieira de Andrade Filho. A notícia traz também seus dados biográficos que incluem estudos e livros. Outras informações sobre a mencionada matéria estão logo abaixo na seção "Artigos, atividades do autor e reportagens sobre o livro "Itapetininga".

 

Livro "Itapetininga" em palestra de genealogia

 

O livro "Itapetininga" do pesquisador Sílvio Vieira de Andrade Filho foi citado na palestra proferida por Tânia de Arruda Kotchergenko intitulada "Os povoadores de Lages oriundos de Itapetininga". A referida palestra ocorreu por ocasião do Primeiro Seminário Regional de Genealogia realizado em 08.11.2008 em Itapetininga.

 

Citação do autor e obra em monografia

 

O historiador e lingüista Sílvio Vieira de Andrade Filho teve a sua obra "Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores” citada na monografia "Liberdade negociada: a prática de alforria em Itapetininga-SP (1820-1850)" de Leandro Marcos de Meira de 2008. Trata-se de um estudo de conclusão de curso para obtenção do grau de bacharel em História pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) sediada em Curitiba.

 

Autor redige notas sobre o livro "Itapetininga"

 

Sílvio Vieira de Andrade Filho redigiu notas sobre o livro "Itapetininga". O autor afirma que tais notas podem ser úteis aos estudiosos e interessados na História de Itapetininga, especialmente aos que possuem o referido livro que vem sendo muito apreciado, segundo os e-mails que o autor vem recebendo de várias partes do Brasil.

 

Pesquisador na Rádio Transamérica

 

Em 10.06.2009, Sílvio Vieira de Andrade Filho esteve no programa que é levado ao ar pela apresentadora Tuti na Rádio Transamérica de Itapetininga. Na ocasião, ele agradeceu o povo de Itapetininga pelo seu grande interesse pelo livro "Itapetininga" capaz de esgotar toda a sua edição. O autor agradeceu também a apresentadora que sempre procurou fazer a divulgação do livro através de seu excelente programa. Detalhes técnicos na seção Reportagens - citações em ordem cronológica.

 

TV Tem focaliza autor

 

Em 31.07.2009, Sílvio Vieira de Andrade Filho concedeu entrevista para o noticioso Tem Notícias cuja primeira edição vai ao ar às 12 horas pela TV Tem de Itapetininga. O assunto foi uma questão fonética da língua portuguesa que não é só da região de Sorocaba.

Sobre a pronúncia do som grafado com "r" em palavras como "porta" que alguns acham feia, o Dr. Sílvio Vieira de Andrade Filho afirma que "belo" e "feio" são conceitos estéticos com os quais a Lingüística não trabalha. Tais conceitos são próprios da Literatura que é arte. Sendo ciência, a Lingüística apenas faz a transcrição fonética da palavra em foco, preocupando-se apenas como esta é pronunciada na realidade e não se preocupando se os sons emitidos pelo falante são bonitos ou feios.

A colocação de conceitos estéticos na palavra torna anti-científica a Gramática Tradicional que vive citando exemplos de escritores, revelando que recebe fortíssima influência literária e que não respeita a variabilidade lingüística.

Andrade Filho lembrou que a Lingüística também não trabalha com os conceitos de "certo" e "errado", valorizando muito a oralidade das línguas de populações ágrafas e não ágrafas. A aplicação de tais conceitos inviabiliza a descrição de qualquer língua. Tais conceitos também deixam anti-científica a Gramática Tradicional que vem se mantendo graças a interesses econômicos. Se fosse seguir os conceitos desta, não seria possível a realização pelo mencionado estudioso da obra "Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores".

O curioso é que muitos que acham feia a pronúncia do "r" de "porta" no português da região de Sorocaba, acham bonito este mesmo som quando pronunciado na palavra "war" do inglês. O som é o mesmo em ambas as palavras. As duas línguas (e muitas outras) têm o mesmo referido som que é até chamado de "r" inglesado! Será que este fato revela perda de auto-estima por parte de alguns brasileiros?

Detalhes técnicos na seção Reportagens - citações em ordem cronológica.

Nota - O conteúdo desta reportagem foi aproveitado para a elaboração do artigo "A região de Sorocaba, etc. e o seu sotaque", publicado no Site VIVAcidade em 07.06.2011 (clique aqui).

 

Lingüista é citado no site da TV Tem

 

Em 31.07.2009 tão logo foi ao ar a entrevista anteriormente mencionada com o historiador e lingüista Sílvio Vieira de Andrade Filho, a TV Tem de Itapetininga fez em seu site uma reportagem intitulada "A influência dos gaúchos na formação de cidades da região explica a caracterísitica do sotaque dos itapetininganos". Quando abordou o sotaque dos itapetininganos e da região de Sorocaba, citou o referido pesquisador e a mencionada entrevista, afirmando que, se a questão em foco causava estranheza a tantas pessoas, não causava nenhuma àquele lingüista.

Detalhes técnicos na seção Reportagens - citações em ordem cronológica.

 

Pesquisador na TV Futura

 

Em 24.08.2009, o autor Sílvio Vieira de Andrade Filho foi mostrado na TV Futura de São Paulo falando sobre sotaque da região de Sorocaba e outros assuntos lingüísticos. A entrevista é a que consta na notícia anterior denominada "TV Tem focaliza autor".

Detalhes técnicos na seção Reportagens - citações em ordem cronológica.

 

Rádio Realidade de Guareí recebe o autor


Em
21.11.2009, Sílvio Vieira de Andrade Filho concedeu entrevista das 10h50 às 12h30 a José Maria dos Santos na Rádio Realidade FM de Guareí. Na ocasião, o autor falou aos ouvintes da referida rádio comunitária sobre todos os seus livros e discorreu longamente sobre o tema "Lingüística x Gramática Tradicional".

 

Pesquisador em solenidade


Em
23.06.2010, o historiador e lingüista Sílvio Vieira de Andrade Filho participou de solenidade que, dentre os seus vários atos, comemorou o quinto aniversário do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Itapetininga (IHGGI).

 

Lingüista no portal do Correio de Itapetininga

 

Em 06.04.2011, o importante portal do jornal "Correio de Itapetininga" publicou uma reportagem com o título "Expressões que sobrevivem ao tempo". Nesta, aparece o pesquisador Dr. Sílvio Vieira de Andrade Filho dando opiniões de conteúdo lingüístico.

 

Livro "Itapetininga" em site

 

Em 07.04.2011, o portal do jornal "Correio de Itapetininga" publicou uma reportagem com o título "Livro retrata a história de Itapetininga desde antes de sua existência". Trata-se de uma reportagem sobre o livro "Itapetininga" lançado em 2006 pelo historiador e lingüista Dr. Sílvio Vieira de Andrade Filho.

 

Sílvio Vieira de Andrade Filho no VIVAcidade

 

Em 07.06.2011, Sílvio Vieira de Andrade Filho publicou um artigo no site VIVAcidade de Sorocaba sobre o sotaque na região de Sorocaba, etc. Muitos internautas espalhados pelo mundo fizeram manifestações positivas ao artigo de caráter lingüístico, ao autor e ao site. As manifestações revelam a atualização em que se encontra o lingüísta em relação aos estudos tradicionais. O referido artigo está também neste site na seção Artigos. Além do link, veja também dados técnicos sobre este artigo na seção Reportagens - citações em ordem cronológica.

 

Sílvio Vieira de Andrade Filho em jornal itapetiningano

 

Em 18.06.2011, o lingüísta e historiador Dr. Sílvio Vieira de Andrade Filho deu sua opinião em uma matéria do jornal "Correio de Itapetininga" a respeito do sotaque da região de Itapetininga. A matéria trata também de expressões que o jornalista conhece como usuário da língua portuguesa de Itapetininga. Veja também dados técnicos sobre esta na seção Reportagens - citações em ordem cronológica.

 

Sílvio Vieira de Andrade Filho em blog de São Miguel Arcanjo

 

Em 18.06.2011, Luíza Válio, de São Miguel Arcanjo, apreciou tanto a opinião do Dr. Sílvio Vieira de Andrade Filho na reportagem do "Correio de Itapetininga" anteriormente mencionada que a colocou em seu interessante blog. Veja também dados técnicos sobre esta na seção Reportagens - citações em ordem cronológica.

 

Sílvio Vieira de Andrade Filho em solenidade

 

Em 22.06.2011, Sílvio Vieira de Andrade Filho (autor do livro "Itapetininga" e outros livros) participou da solenidade que marcou o sexto ano de fundação do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Itapetininga do qual o lingüísta e historiador é membro. A cerimônia abrilhantada pela banda Edil Lisboa serviu também para dar posse a novo membro e homenagear autoridades. O evento ocorreu no recinto da Câmara Municipal de Itapetininga com a presença de membros do referido instituto, autoridades e grande público.

 

Livro "Guareí" e seu autor em bibliografia

 

O livro "Imigrantes Germânicos e Suíços na Província de São Paulo - Séc. XIX" de autoria de Fernando César Gomes da Silva editado em 2011 cita em sua bibliografia o livro "Guareí" de Sílvio Vieira de Andrade Filho. O autor mencionou muitos imigrantes alemães enfocados no livro "Guareí" que se fixaram nos atuais municípios paulistas de Itapetininga e de Guareí.

 

Pesquisador no jornal "O Município"

 

Em agosto de 2012, foi publicada interessante reportagem no jornal "O Município" de Itapetininga. O jornalista Adilson Silveira comentou os livros "Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores" e "Itapetininga" de autoria do lingüista e historiador Sílvio Vieira de Andrade Filho.
Veja também dados técnicos sobre a mencionada matéria logo abaixo na seção Reportagens - citações em ordem cronológica.

 

Pesquisador faz novo estudo

 

Datada de março de 2013, "Uma contribuição para o estudo das famílias Mascarenhas, Araújo, Toledo, Martins, Graça, Camelo, Cruz e Queiroz" de Sílvio Vieira de Andrade Filho procura estudar as famílias com os sobrenomes mencionados (algumas com propriedades rurais e escravos). No estudo, aparecem os seguintes municípios: Araçoiaba da Serra (inclusive informações históricas), Botucatu, Iperó (inclusive dados históricos), Jundiaí, Limeira, Piracicaba (inclusive informações históricas), Quaraí (RS), Rio Claro, Rio de Janeiro, Santa Bárbara d'Oeste (inclusive informações históricas), Santo André, Santos, São Nicolau (RS), São Paulo, São Vicente, Sorocaba e Tatuí. A pesquisa consiste em compilaçãoes, relatos, documentos pesquisados pelo autor e fotos.

 

Pesquisador no VIVAcidade

 

Em 11 de abril de 2013, o conhecido site sorocabano VIVAcidade publicou reportagem sobre a recente pesquisa de Sílvio Vieira de Andrade Filho acima mencionada. A matéria trouxe o sobrenome das famílias envolvidas, algumas com propriedades rurais e escravos bem como o nome dos municípios onde estas viveram. A reportagem destacou ainda o nome dos outros estudos elaborados pelo pesquisador e o seu site.

 

Pesquisador na Semana do Tropeiro

 

Durante o período dedicado ao tropeiro no mês de maio, o pesquisador Sílvio Vieira de Andrade Filho contribuiu com o artigo intitulado "A rota Sorocaba e região para o sul e vice-versa: tropeirismo, movimentações e migrações" que foi publicado em alguns veículos de comunicação que podem ser conferidos logo abaixo na seção Reportagens - citações em ordem cronológica. O mesmo artigo na íntegra encontra-se na seção "Artigos" deste site.

 

Livro em biblioteca de Itapetininga

 

Em 26.06.2013, Sílvio Vieira de Andrade Filho fez doação da segunda edição do livro "Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores" à Biblioteca Municipal "Dr. Júlio Prestes de Albuquerque".

 

Pesquisador faz importantes doações em Itapetininga

 

Em 28.06.2013, ocorreu na Câmara Municipal de Itapetininga a solenidade comemorativa do oitavo aniversário do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Itapetininga (IHGGI) bem como a posse de seus novos membros.

Na ocasião, diante de grande público e da imprensa que puderam inclusive apreciar as belas músicas da banda municipal sob a batuta do maestro José Carlos do Zinho, o historiador e lingüista Sílvio Vieira de Andrade Filho fez a entrega ao presidente do IHGGI de mais um exemplar da segunda edição de seu livro "Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores", de Notas referentes a seu livro "Itapetininga" e de Notas a seu livro "Guareí". Tais Notas são principalmente de resenhas de novos documentos encontrados pelo referido autor e que vão fazer parte de seu próximo livro.

 

Historiador e lingüista é citado em jornal eletrônico

 

Em 06.11.2013, o Boletim do ROL (Região On Line), jornal eletrônico de Itapetininga, publicou matéria constituída de textos e documentos da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro que estão gravados em CD organizado pelo Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Itapetininga (IHGGI) bem como de textos dos livros "Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores" (segunda edição) e "Itapetininga" de autoria do historiador e lingüista Sílvio Vieira de Andrade Filho. Parte dos documentos do item "Os antecedentes e os primeiros momentos" do primeiro livro faz referência aos documentos da mencionada biblioteca.

Dados técnicos sobre a mencionada matéria são encontrados logo abaixo na seção Reportagens - citações em ordem cronológica.

 

Textos de Andrade Filho são destaque em site

 

Nos meses de outubro e novembro de 2013, o Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Itapetininga (IHGGI), em comemoração de mais um aniversário de Itapetininga (05 de novembro), colocou em seu site para os seus usuários textos de autoria do historiador Sílvio Vieira de Andrade Filho. Tais textos estão nos livros "Itapetininga" e "Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores" (segunda edição). Nestes livros, encontra-se o item "Os antecedentes e os primeiros momentos" que faz referências históricas a Itapetininga. Este item sofreu ampliação significativa com novos documentos no segundo livro mencionado. Por outro lado, o primeiro livro citado recebeu notas que também possuem novos documentos que aperfeiçoam o conteúdo do livro e do referido item.

Dados técnicos sobre a mencionada matéria são encontrados logo abaixo na seção Reportagens - citações em ordem cronológica.

 

Livro sobre Pilar do Sul cita Andrade Filho

 

Em novembro de 2014, o autor José Luiz Nogueira lançou o livro "Genealogia de uma cidade - Pilar do Sul" onde ele cita as obras "Itapetininga" (2006) e "Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores" (2009) de seu confrade do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Itapetininga (IHGGI), o pesquisador Sílvio Vieira de Andrade Filho.

 

Pesquisador Andrade Filho em tese da FAU-USP

 

Na tese de Doutorado pela FAU-USP (2015) intitulada "Nos Sertões de Botucatu: Arquitetura e Território. Das Sesmarias Pioneiras às Grandes Instalações Cafeeiras. 1830-1930", o autor João Fernando Blasi de Toledo Piza procura fazer um estudo histórico e arquitetônico de casarões do século 19 e do começo do século 20 de alguns municípios da região de Sorocaba como Botucatu, Guareí e Itapetininga. A tese contém também fotos, projetos arquitetônicos dos casarões estudados e citações dos livros "Guareí" (2004) e "Itapetininga" (2006) do lingüista e historiador Sílvio Vieira de Andrade Filho.

 

Pesquisador em lista dos dez anos do IHGGI

 

Em 27.06.2015, a edição 6.694 do Jornal Folha de Itapetininga traz uma reportagem intitulada "Solenidade histórica marcou o 10º aniversário do IHGGI". O evento ocorreu em 23.06.2015 na Câmara Municipal de Itapetininga. Na lista de membros beneméritos, está incluído o nome de Sílvio Vieira de Andrade Filho.

O jornal inteiro com a mencionada reportagem que inclui o nome do referido historiador foi disponibilizado na plataforma virtual Issuu um dia depois.

 

Pesquisador é citado no aniversário de Itapetininga

 

Dias antes e dias depois de 05.11.2015, data de aniversário da fundação de Itapetininga, o jornal eletrônico ROL - Região On Line publicou a série "Notícias que antecedem a fundação de Itapetininga" com base no texto do livro "Itapetininga" do historiador e lingüista Sílvio Vieira de Andrade Filho. O texto foi divulgado pelo genealogista José Luís Nogueira, confrade de Andrade Filho no IHGGI (Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Itapetininga).

Dados técnicos sobre a mencionada matéria são encontrados logo abaixo na seção Reportagens - citações em ordem cronológica.

 

Em Guareí, lingüista e historiador cumpre extenso programa e doa livros

 

Em 05.02.2016, o historiador e lingüista Sílvio Vieira de Andrade Filho esteve em Guareí, SP, sua terra natal.
Na Rádio Realidade, o Dr. Sílvio deu entrevista ao jornal das13h40 do jornalista José Maria. Aos ouvintes, Andrade Filho falou de seus livros "Guareí" (2004), "Itapetininga" (2006) e "Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores" (2009 - segunda edição). Este último é resultado do aperfeiçoamento de sua tese de Doutorado na USP. O texto de uma reportagem da National Geographic com o autor deste último livro foi focalizada numa questão do vestibular de 2014 da Fundação Paula Souza. O resumo referente a cada livro que o autor fez na entrevista à Rádio Realidade é o mesmo que está nos sites que também foram divulgados a todos: http://www.cafundo.site.br.com, http://inforum.insite.com.br/8400 e http://www.vivacidade.com.br. Os dois primeiros sites referem-se a livros do autor. O terceiro divulga notícias, eventos e turismo de Sorocaba e região.
O historiador e lingüista falou também do seu livro lançado em 2015 denominado "Notas e Documentos Complementares" que contém novos documentos referentes a cada livro anteriormente citado.
O autor fez doação ao povo de Guareí de um exemplar do livro "Um Estudo......" e um do livro "Notas e Documentos Complementares". Estes exemplares estão disponíveis para consulta na Rádio Realidade.
Com o objetivo de divulgar os seus livros, o pesquisador estabeleceu contato com a direção e com os professores da E. E. Prof. Ezequiel Castanho.
Com o mesmo objetivo, o autor esteve também na Câmara Municipal de Guareí.
O autor não perdeu a ocasião para visitar a Matriz e para rever também os seus parentes e amigos.
Dados técnicos sobre a mencionada matéria são encontrados logo abaixo na seção Reportagens - citações em ordem cronológica.

 

Andrade Filho tem livros recomendados

 

Em 04.03.2016, no jornal eletrônico ROL (Região On Line) de Itapetininga, Afrânio Mello em sua coluna de caráter histórico e genealógica focaliza Felipe Jacob e a família Barros a pedido de um leitor. O colunista recomenda ao referido leitor os livros "Guareí", "Itapetininga" e "Notas e Documentos Complementares" do historiador e lingüista Sílvio Vieira de Andrade Filho.

Dados técnicos sobre a mencionada matéria são encontrados logo abaixo na seção Reportagens - citações em ordem cronológica.

 

Entrevista na Rádio Difusora de Itapetininga

 

Em 28.04.2016, Sílvio Vieira de Andrade Filho gravou entrevista para o Jornal do Meio Dia, da Rádio Super Difusora de Itapetininga. A entrevista será levada ao ar duas vezes nos próximos dias.
O entrevistador Antônio Luís começou apresentando o pesquisador, destacando que o mesmo tem doutorado na USP e que é autor destes livros "Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores" (2000 e 2009), "Guareí" (2004) e "Itapetininga" (2006). Nas respostas, o autor falou que os seus livros tem basicamente estes conteúdos: a formação de municípios e as antigas propriedades rurais com os seus escravos. O primeiro livro, além dos conteúdos mencionados, tem mais uma parte folclórica e uma lingüística. O pesquisador falou também do seu livro de 2015 intitulado "Notas e Documentos Complementares" que faz referência a cada um dos livros mencionados.

 

Site de Guareí tem fotos do pesquisador

 

O site denominado "Jacutinga" sediado no município paulista de Guareí tem, dentre as suas várias seções, uma de notícias e uma de fotos familiares e de eventos antigos. Site importante para os que têm vínculo com Guareí e para pesquisadores e jornalistas. O referido site contém fotos da família do lingüista e historiador Sílvio Vieira de Andrade Filho e dele próprio.

 

Lingüísta escreve mais um artigo

 

Em 28.05.2017, o lingüista Sílvio Vieira de Andrade Filho escreveu mais um artigo. Desta vez, o artigo faz considerações a respeito do "O" da língua portuguesa. Este artigo faz parte da série "Gramática Tradicional x Lingüística" que hoje conta com quatro artigos. A série contém um estudo comparativo entre os estudos gramaticais tradicionais e os recentes estudos lingüísticos com bastante exemplificação. Com estes artigos, o pesquisador quer divulgar os estudos lingüisticos ao público que, com certeza, poderá adquirir uma boa noção sobre o assunto em foco. O referido artigo encontra-se neste site, na seção "Artigos" da parte referente à segunda edição do livro "Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores" (2009).

 

Livros no ISSUU

 

Em 11.09.2017, os resumos de todos os livros de autoria do lingüista e historiador Sílvio Vieira de Andrade Filho foram adicionados na conhecida plataforma virtual de livros dos Estados Unidos denominada ISSUU. De cada livro, o leitor poderá ver um "folder" com resumo e biografia do autor. Além destas informações, os "folders" divulgam também contatos, sites do autor, etc.

 

 

 

 

 

 

II - Reportagens - citações em ordem cronológica

 

(28.08.2001) Um caso de amor no século 19. Artigo sobre a vida do Cap. Antônio de Almeida Leite Penteado. Em A Tribuna de Sorocaba, Sorocaba

 

(19.01.2005) Entrevista ao vivo concedida pelo autor ao programa Telescópio da TV Itapetininga

(19.01.2005) O autor grava entrevista para o jornal da Rádio Globo de Itapetininga

 

(    .05.2005) História revela pontos em comum entre Itapetininga e Lages. Em Jornal Nossa Terra, Itapetininga

 

(14.05.2005) História revela pontos em comum entre Itapetininga e Lages. Em Jornal Nossa Terra, Itapetininga

 

(        .2005) História revela pontos em comum entre Itapetininga e Lages. Em Região On Line, Itapetininga

 

(23.06.2006) Posse do autor no Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Itapetininga

 

(11.10.2006) Entrevista do autor ao Jornal do Meio Dia. Em Rádio Difusora-Transamérica, Itapetininga

 

(14.10.2006) Itapetininga ganhará mais um livro que revela a sua História. Em Jornal Falando D, capa, Itapetininga

 

(14.10.2006) Itapetininga ganhará mais um livro que relata sua História. Por Vinícius Leonel. Em Jornal Falando D, seção Nisso..., Itapetininga

 

(19.10.2006) Livro "Itapetininga" será lançado dia 30. Em site VIVAcidade, Agenda de Eventos, Sorocaba (clique aqui)

 

(20.10.2006) Itapetininga terá novo livro sobre a sua História. Em Região On Line, Itapetininga (clique aqui)

 

(21.10.2006) Lançamento. Em Correio de Itapetininga-Jornal Nossa Terra, caderno Cultura, Itapetininga

 

(21.10.2006) Itapetininga, de Sílvio Vieira de Andrade Filho, será lançado na Câmara Municipal. Por Mariana Riedel. Em Correio de Itapetininga-Jornal Nossa Terra, caderno Cultura, Itapetininga

 

(24.10.2006) Livro de História. Em Cruzeiro do Sul, seção Região, Notas, Sorocaba

 

(24.10.2006) Livro de História. Em Cruzeiro do Sul, seção Região, Notas, Sorocaba

 

(26.10.2006) Itapetininga ganha mais um livro sobre sua História. Em Diário de Sorocaba, seção Região, Sorocaba

 

(26.10.2006) Entrevista a "Telescópio", programa do entrevistador Guilherme Aleixo Hungria. Em TV - I, Itapetininga

 

(27.10.2006) Entrevista a José Luís Aires Holtz. Em Rádio Globo, Itapetininga

 

(28.10.2006) Livro sobre a História de Itapetininga é lançado. Em Jornal Ipanema, capa, Sorocaba

 

(28.10.2006) História de Itapetininga. Em Jornal Ipanema, seção Vamos, Sorocaba

 

(28.10.2006) História de Itapetininga. Em Jornal Ipanema, seção Vamos, Sorocaba

 

(28.10.2006) Lançamento do livro "Itapetininga" na Câmara Municipal. Em blog de Christian Pereira de Camargo, Itapetininga

 

(29.10.2006) Escritor lança livro que resgata a História da cidade de Itapetininga. Projeto pesquisa a trajetória do município que completa 236 anos de fundação no domingo. Por Juliana Simonetti. Em Bom Dia, caderno Viva, Sorocaba

 

(30.10.2006) Escritor lança livro que resgata a História da cidade de Itapetininga. Projeto pesquisa a trajetória do município que completa 236 anos de fundação no domingo. Por Juliana Simonetti. Em Bom Dia, caderno Viva, Sorocaba

 

(02.11.2006) Itapetininga com novo livro sobre a sua História. Em VIVAcidade, Textos e Notícias, Sorocaba (clique aqui)

 

(04.11.2006) Sessão solene de lançamento de livro integraram as comemorações. Em Folha de Itapetininga (ed. 5424, capa), Itapetininga

 

(04.11.2006) Sessão solene e lançamento de livro marcaram o início das comemorações dos 236 anos de Itapetininga. Em Folha de Itapetininga (ed. 5424, p. 06), Itapetininga

 

(05.11.2006) Livro documenta início do bairro Itapetininga. Em Cruzeiro do Sul, seção Região, Sorocaba

 

(05.11.2006) Livro documenta início do bairro Itapetininga. Em Cruzeiro do Sul, seção Região, Sorocaba

 

(06.11.2006) Livro documenta início do bairro Itapetininga. Em Revista Viu On line, Porto Feliz

 

(06.11.2006) Livro documenta início do bairro Itapetininga. Em Jundiaí On line, Jundiaí

 

(    .12.2006) A Vida na Comarca de Itapetininga (capa). Em Diálogos & Debates, (ed. 26, n. 2, ano 7, p. 37), revista trimestral da Escola Paulista da Magistratura, São Paulo

 

(22.09.2007) À venda o livro "Itapetininga". Em Folha de Itapetininga, (ed. 5558, p. 08), Itapetininga

 

(13.10.2007) Livro retrata história de Itapetininga desde antes de sua existência. Em Correio de Itapetininga / Jornal Nossa Terra, (ed. 136, p. B-2), Itapetininga

 

(08.11.2007) Entrevista a "Telescópio", programa do entrevistador Guilherme Aleixo Hungria. Em TV - I, Itapetininga

 

(13.11.2007) Entrevista ao programa matinal de Luís Honório (Felisbino). Em Rádio Nova Aurora - AM, Itapetininga

 

(15.12.2007) Citação do autor e de seu livro. Em itapetiningafazhistoria.blogspot.com

 

(08.02.2008) Entrevista ao programa matinal Bote a Boca no Trombone. Em Rádio Transamérica - AM, Itapetininga

 

(    .03.2008) Livro de autor itapetiningano conta História das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores. Em Jornal O Município, março de 2008, Itapetininga

 

(18.03.2008) Entrevista concedida pelo autor ao programa Bote a Boca no Trombone da apresentadora Tuti. Em Rádio Difusora-Transamérica - AM, Itapetininga

 

(    .04.2008) Livro "Itapetininga" conta História do município. Em Jornal O Município, abril de 2008, Itapetininga

 

(13.05.2008) Agradecimento ao autor pela doação do livro "Itapetininga". Ofício da Biblioteca Municipal de Itapetininga ao autor

 

(19.05.2008) Guareiense lança livro com sucesso. Em site GuareiSp.com.br, Guareí

 

(20.05.2008) Citação do autor e do livro "Itapetininga" na coluna de Betto Ferraz no site Região On Line de Itapetininga

 

(08.10.2008) Biografia de Sílvio Vieira de Andrade Filho e de seu patrono Salvador de Oliveira Leme no IHGGI foram publicados no livro "Itapetininga - Genealogia de uma Cidade - II" de José Luiz Nogueira

 

(08.11.2008) Participação de Sílvio Vieira de Andrade Filho no I Seminário Regional de Genealogia organizado pelo Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Itapetininga (IHGGI)

 

(08.11.2008) "Lages, SC e Itapetininga, SP: primitivos povoadores em comum". Neste artigo, a autora Tânia de Arruda Kotchergenko faz citação do livro "Itapetininga" e de seu autor Sílvio Vieira de Andrade Filho por ocasião do Primeiro Seminário Regional de Genealogia de Itapetininga. Em www.ihggi.org

 

(31.07.2009) Entrevista concedida pelo autor no noticioso Tem Notícias. Em TV Tem, Itapetininga

 

(31.07.2009) A influência dos gaúchos na formação de cidades da região explica a caracterísitica do sotaque dos itapetininganos. Em Site da TV Tem, Itapetininga

 

(24.08.2009) Entrevista concedida pelo pesquisador sobre sotaque de sua região e outros assuntos lingüísticos. Em TV Futura, São Paulo

 

(21.11.2009) Resumo de todos os livros e explanação sobre o tema "Lingüística x Gramática Tradicional". Em Rádio Realidade FM, Guareí

 

(03.02.2010) A rota Sorocaba e região para o sul e vice-versa: tropeirismo, movimentações e migrações. Artigo - Parte I. Em Diário de Sorocaba

 

(04.02.2010) A rota Sorocaba e região para o sul e vice-versa: tropeirismo, movimentações e migrações. Artigo - Parte II. Em Diário de Sorocaba

 

(24.05.2010) O Tropeirismo em Sorocaba. Título original deste artigo: A rota Sorocaba e região para o sul e vice-versa: tropeirismo, movimentações e migrações. Em VIVAcidade, Textos e Notícias, Sorocaba (clique aqui)

 

(                ) A rota Sorocaba e região para o sul e vice-versa: tropeirismo, movimentações e migrações. Artigo publicado no site do IHGGI - Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Itapetininga

 

(07.06.2011) A região de Sorocaba, etc. e o seu sotaque. Em VIVAcidade, Textos e Notícias, Sorocaba (clique aqui)

(18.06.2011) Regionalismo. Expressões que sobrevivem ao tempo. Sotaque Caipira. Em Correio de Itapetininga, edição 328

(18.06.2011) Caipira é tudo igual. Com este título, foi reproduzida a reportagem do Correio de Itapetininga, edição 328, em que é citado o historiador e lingüísta Sílvio Vieira de Andrade Filho. Em Blog da Luíza Válio, São Miguel Arcanjo

 

(03.08.2012) Escritor sorocabano escreve livros sobre Itapetininga. Em O Município, ano VII, número 026, p. 04, Itapetininga

 

(11.04.2013) Pesquisador de Sorocaba faz novo estudo. Em VIVAcidade, Textos e Notícias, Sorocaba (clique aqui)

 

(23.05.2013) O Tropeirismo em Sorocaba. Título original deste artigo: A rota Sorocaba e região para o sul e vice-versa: tropeirismo, movimentações e migrações. Em VIVAcidade, Textos e Notícias, Sorocaba (clique aqui)

 

(23 e 29.05.2013) A rota Sorocaba e região para o sul e vice-versa: tropeirismo, movimentações e migrações. Em Boletim do ROL (Região On Line), Itapetininga

 

(06.11.2013) Homenagem a Itapetininga. O autor Sílvio Vieira de Andrade Filho é mencionado. Em Boletim do ROL (Região On Line), Itapetininga

 

(30.11.2013) Textos de Sílvio Vieira de Andrade Filho. Em Site do IHGGI, Itapetininga

 

(27.06.2015) Solenidade histórica marca o 10º aniversário do IHGGI. Nome do pesquisador Sílvio Vieira de Andrade Filho incluído na lista de membros beneméritos. Em Folha de Itapetininga

 

(31.10.2015 e 03.11.2015) Notícias que antecedem a fundação de Itapetininga. O historiador Sílvio Vieira de Andrade Filho é mencionado. Em Boletim do ROL (Região On Line), Itapetininga

 

(05.02.2016) Entrevista com o linguista e historiador Sílvio Vieira de Andrade Filho. Rádio Realidade, Guareí

 

(04.03.2016) Felipe Jacob e família Barros. Livros de Sílvio Vieira de Andrade Filho mencionados. Em Boletim do ROL (Região On Line), Itapetininga

 

(28.04.2016) Entrevista com o autor no Jornal do Meio Dia. Em Rádio Super Difusora, Itapetininga

 

(11.09.2017) "Folders" dos livros de Sílvio Vieira de Andrade Filho publicados no ISSUU, Estados Unidos

 

 

 

 

Artigos

 

A rota Sorocaba e região para o sul e vice-versa:

tropeirismo, movimentações e migrações

Sílvio Vieira de Andrade Filho (*)

A partir do século 18, muitas pessoas de Sorocaba e adjacências se tornaram tropeiros. Pelo caminho das tropas, iam ao sul do Brasil comprar eqüinos que eram revendidos na feira de muares de Sorocaba, muito conhecida em todo o país. Muitos chegaram a morar em localidades no sul do Brasil, exercendo a referida atividade. Muitos ficaram definitivamente no sul. Muitos retornaram a Sorocaba e região. Por outro lado, muitos do sul do Brasil vieram para Sorocaba e região como tropeiros. Muitos se fixaram na região de Sorocaba e muitos retornaram ao sul.

Na época, quando o mapa da rota Sorocaba e região para o sul do Brasil e vice-versa ainda não estava pulverizado de pontos urbanos, houve também muita movimentação de pessoas pelo caminho das tropas que não se dedicavam à vida tropeirística, mas que desejavam rever a família, resolver negócios, etc. Para homenagear os tropeiros, existe em Sorocaba o Monumento aos Tropeiros. O governo municipal está instalado no Palácio dos Tropeiros. O tropeirismo decaiu em fins do século 19 quando começaram a surgir em Sorocaba as primeiras indústrias têxteis com o desenvolvimento da lavoura de algodão.

O português Simão Barbosa Franco casou-se primeiramente em 1737 em Curitiba onde viveu. Em 1766, ele é dono de fazenda nos campos de Lages. A Vila de Lages ainda não estava fundada. Em fins de 1766, chegou aos ditos campos o grupo comandado pelo paulista Cap. Antônio Correia Pinto de Macedo para providenciar a fundação da Vila de Lages. Em 1768, Simão é diretor da fundação oficial da Vila de Itapetininga. Em 1769, ele se casa em segundas núpcias em Itu quando declara ser dos campos de Lages. Em 1769, ele obtém em agosto licença para ir aos referidos campos e em dezembro manda buscar animais no mesmo local. No começo de 1770, ele impede o tropeiro João da Costa de invernar a sua tropa num certo local de Itapetininga. Em 05.11.1770, ocorreu a fundação de Itapetininga e Simão é um dos fundadores. Em 1772, Simão vai definitivamente para a Vila de Lages, importante centro tropeirístico fundado em 1771.

Num documento de 1772 arquivado no Fórum Velho de Itapetininga referente a 28 potros, há uma carta precatória de 1770 da Vila de Santana do Parnaíba em que a inventariante Ana Francisca Lima afirma que o seu marido Luís da Silva Figueiró ia a negócios a São Pedro do Sul. Ele faleceu no Rio Grande do Sul.

Em 1774, o tropeiro Antônio José Domingues veio de Viamão com a sua tropa constituída de 525 bestas que deixou invernando primeiramente nos campos de Capivari. Como os referidos campos não estavam mais servindo, o dito tropeiro transferiu a tropa para um segundo local. Salvador de Oliveira Leme (inspetor e administrador de Itapetininga) mandou expulsar a tropa deste segundo local, o que provocou reclamação por parte de Domingues.

Em 1779, Salvador de Oliveira Leme entra com requerimento na Vila de Itapetininga contra Paulo Leite de Moraes que faleceu devendo à Fazenda Real certo valor referente a uma tropa proveniente do Rio Grande do Sul.

Em 1780, segundo um documento arquivado no referido fórum de Itapetininga, o Capitão-mor Salvador de Oliveira Leme entra com um requerimento na Vila de Nossa Senhora dos Prazeres de Itapetininga contra o devedor Alexandre de Gusmão, tropeiro do Rio Grande do Sul. Gusmão está em lugar desconhecido e deixou sua tropa em poder de Bernardino Alves da Silva na paragem denominada Capão Alto.

Devido a atividades ligadas ao tropeirismo na região, foi erguida a Capela da Fazendinha (atual Sarapuí).

O Tenente Francisco de Paula Penteado esteve também no sul do Brasil. Ele faleceu em 1833 em Sorocaba. No testamento de 1833, ele manifesta o desejo de que haja a liquidação do negócio de "tropas de bestas" com o seu irmão Cap. Antônio de Almeida Leite Penteado. Num trecho, o Ten. Francisco fala de seu retorno a casa proveniente dos Campos Gerais de Curitiba com animas que lá adquiriu. Os filhos do Ten. Francisco de Paula Penteado estiveram também em Lages, com aprovação paterna, de onde retornaram posteriormente.

Em 04.02.1837, a Câmara Municipal de Itapetininga emite declaração em que consta Américo Antônio Aires ser possuidor de três extensas fazendas com terras, campos e matos. Os campos servem unicamente de invernada e são arrendados por tropeiros.

Esteve também em Lages o Cap. Antônio de Almeida Leite Penteado. Retornou do sul em 1838 aproximadamente para morar em Itapetininga onde tinha um negócio de bestas com o seu sobrinho que sempre ia ao sul. O padre que possuía o mesmo nome do capitão seu pai foi também para o sul e na povoação de Soledade (atual Rio Grande do Sul) fez em 1847 o casamento de José (nascido em Itapetininga em 1822) que afirma ser filho do capitão. O capitão, porém, não o reconhece como seu filho e nem no documento de batismo consta o nome do capitão como pai. José permaneceu no sul.

Em seu testamento de 1840, o proprietário de terras Américo Antônio Aires, residente em Sorocaba, menciona um filho fora do casamento de nome Antônio. Américo orientou-o a ir ao sul do Brasil e deu-lhe 800 mil réis e um escravo. Quando já estava com muitos bens, Antônio começou a mandar-lhe cartas desrespeitosas do sul. Posteriormente, enviou-lhe de volta o escravo e o dinheiro.

Em 1841, Salvador de Oliveira Aires II (Ana Vieira Aires) moveu ação, encontrada no Arquivo do Fórum de Itapetininga, contra João José de Deus, afirmando que este invadiu os seus campos que estavam sendo arrendados e nestes fez queimadas e roças, atrapalhando bastante as tropas que aí se encontravam invernando.

No inventário do casal Pedro de Almeida Lara-Josefa Leite de Godói de 1843, dos nove herdeiros, só quatro se encontravam morando na região. Os demais estavam morando no sul do Brasil. Dos que estavam no sul, retornaram posteriormente Manoel de Almeida Leite e João de Almeida Leite. Há procuração dos que ficaram no sul datada de 1846 e 1847 proveniente do Rincão de São Pedro ou São Pedro do Sul que tinha grande importância tropeirística.

Numa ação judicial de 1857, consta que o acusado Francisco Pereira de Barros deixou a família na Areia Branca (atual bairro do município paulista de Guareí) e foi para o sul do Brasil. Numa estância de Missões, deixou 50 bestas, tendo seguido o seu caminho com uma carga de fumo para vender sem nunca mais procurar os animais. Tendo recebido de Missões uma carta do acusado, Mariano Xavier da Costa foi à Província do Sul e perguntou por ele a diversas pessoas dentre as quais alguns castelhanos.

Em 1866, Francisco Caetano de Oliveira e sua mulher Ana Rodrigues de Sousa, através de procuração de 1864 elaborada na cidade de Lages, Província de Santa Catarina, vendem para Manuel Maria Xavier de Araújo um sítio na Barra (Sorocaba).

Em 24.09.1881 na Matriz de Sorocaba, ocorreu o casamento do viúvo Manuel Amaro Gonçalves com Maria Francisca de Almeida, filha de José Maria Pedroso com Francisca Maria de Almeida, natural de Lages.

Juquinha Leme (José Moreira de Campos) estava com 20 anos no inventário de 1897 de seu pai Francisco Leme de Campos. Juquinha Leme foi proprietário de um sítio no Guaxinduva (atual município de Salto de Pirapora, SP) e, como tropeiro, costumava ir ao Rio Grande do Sul comprar muares para serem revendidos aos fazendeiros de Sorocaba e região. A sua vida de tropeiro teve início em sua mocidade e durou mais ou menos 20 anos. Ele e os seus peões iam de trem até Campos Novos numa viagem de quinze dias. A volta a Sorocaba só ocorria depois de seis meses. No percurso, os animais adquiridos tinham que atravessar pequenos rios a nado. Na travessia, só as orelhas dos animais podiam ser vistas à flor da água.

Em 1899, José Antunes de Sousa Branco e sua mulher Dona Gabriela de Oliveira Rosa, residentes na Barra (Sorocaba), preparam o seu testamento em que é citada a mãe de Gabriela como residente em Carazinho, RS. Em 1912, falece Gabriela, natural do Rio Grande do Sul, tendo sido sepultada no cemitério do centro de Salto de Pirapora, SP.

No inventário do Tenente-coronel Manuel Joaquim de Andrade, morador de Guareí, SP, iniciado em 1903, consta o nome de uma de suas filhas Maria Teresa da Costa, viúva e residente em Cruz Alta, RS. Ela se casou em Tatuí, SP, com Mariano Xavier da Costa em 1854.

Morador de Salto de Pirapora, SP, Manuel Moreira Farrapo (1927-2008) afirma ter ouvido dos antigos que a família Farrapo de Salto de Pirapora teve início com um tropeiro gaúcho que costumava sair do Rio Grande do Sul com a sua tropa em direção a São Paulo. No percurso, ele ia domando e vendendo os seus burros. Como tivesse roubado uma mulher em sua terra natal e temendo represálias, resolveu fixar-se na região, abandonando as atividades tropeirísticas. Flávio de Oliveira Ramos (1936-2000) afirma que um tropeiro, proprietário de extensas terras na região, estava voltando do Rio Grande do Sul com a sua tropa quando encontrou um moço todo esfarrapado numa estrada. Todos os membros da comitiva conversaram com ele. Excelente peão, foi logo incorporado à comitiva, passando a ser chamado de Francisco Moreira Farrapo. O tropeiro que o acolheu passou a considerá-lo um herdeiro.

Bibliografia

ANDRADE FILHO, Sílvio V. de 

(2000) Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores (obra resultante de tese de Doutorado na USP), Secretaria da Educação e Cultura de Sorocaba, Editora e Gráfica Paratodos, Sorocaba

(28.08.2001) Um caso de amor no século 19. Trata da vida do Capitão Antônio de Almeida Leite Penteado. Em A Tribuna de Sorocaba, Sorocaba

(2004) Guareí, Prefeitura e Câmara Municipal de Guareí, Gráfica Manchester, Sorocaba

(14.05.2005) História revela pontos em comum entre Itapetininga e Lages. Em Jornal Nossa Terra, Itapetininga

(2006) Itapetininga, Gráfica Manchester, Sorocaba

(2009) Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores, 2a. edição ampliada, RR Donnelley, São Paulo

(*) Sílvio Vieira de Andrade Filho (vieira.sor@terra.com.br) é pesquisador, lingüista, historiador e doutor pela USP. Possui na internet o seguinte site:
http://www.cafundo.site.br.com

Nota - Este artigo encontra-se também no site VIVAcidade, Textos e Notícias, Sorocaba (clique aqui). Encontra-se também no jornal Diário de Sorocaba (03 e 04.02.2010) e no site do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Itapetininga (IHGGI).

 

A região de Sorocaba, etc. e o seu sotaque

Sílvio Vieira de Andrade Filho (*)

A questão fonética da língua portuguesa abaixo não é só da extensa região de Sorocaba.

Sobre a pronúncia do som grafado com "r" em palavras como "porta" que alguns acham feia é preciso dizer que "belo" e "feio" são conceitos estéticos com os quais a Lingüística não trabalha. Tais conceitos são próprios da Literatura que é arte. Sendo ciência, a Lingüística apenas faz a transcrição fonética da palavra em foco, preocupando-se apenas como esta é pronunciada na realidade e não se preocupando se os sons emitidos pelo falante são bonitos ou feios.

A colocação de conceitos estéticos na palavra torna anti-científica a Gramática Tradicional que vive citando exemplos de escritores, revelando que recebe fortíssima influência literária e que não respeita a variabilidade lingüística. Seus adeptos (editoras, escolas, indústria dos cursinhos e dos concursos públicos) não se cansam de lutar titanicamente pela sua conservação.

A Lingüística, que representa a evolução dos estudos da linguagem, também não trabalha com os conceitos de "certo" e "errado", valorizando muito a oralidade das línguas de populações ágrafas e não ágrafas. A aplicação de tais conceitos inviabiliza a descrição de qualquer língua. Tais conceitos também deixam anti-científica a Gramática Tradicional que vem se mantendo graças a interesses econômicos. Se fosse seguir os conceitos desta, não seria possível a realização por este articulista da obra "Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores".

O curioso é que muitos que acham feia a pronúncia do "r" de "porta" no português da região de Sorocaba, acham bonito este mesmo som quando pronunciado na palavra "war" do inglês. O som é o mesmo em ambas as palavras. As duas línguas em foco (bem como muitas outras) têm o mesmo referido som que é até chamado de "r" inglesado! Será que este fato revela perda de auto-estima por parte de alguns brasileiros?

(*) Sílvio Vieira de Andrade Filho (
vieira.sor@terra.com.br) é pesquisador, lingüísta, historiador e doutor pela USP. É autor dos seguintes livros: "Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores", Secretaria da Educação e Cultura de Sorocaba (2000), "Guareí" (2004), "Itapetininga" (2006) e "Um Estudo Sociolingüístico das Comunidades Negras do Cafundó, do Antigo Caxambu e de seus Arredores", 2a. edição ampliada, RR Donnelley, São Paulo.
O assunto do artigo acima foi tratado em entrevistas na TV Tem de Itapetininga e na TV Futura de São Paulo. As notícias destas entrevistas estão no primeiro site do autor indicado logo abaixo.
Dentre os vários artigos do autor, podemos citar "Brasil: Apagões e Sugestões", também publicado no Site VIVAcidade cujo link é este: http://www.vivacidade.com.br/cidade_textos_interno.php?id_cidade=866. Podemos citar também este artigo: "O que revelam os números das eleições" cujo link é: http://www.vivacidade.com.br/cidade_textos_interno.php?id_cidade=3594.
O autor possui na internet o seguinte site:
http://www.cafundo.site.br.com

 

Fotos do arquivo

 

Esta seção, ainda em construção, reúne fotos que chegaram às mãos do autor Sílvio Vieira de Andrade Filho após o lançamento em 2006 do livro "Itapetininga" que já em si contém muitas fotos.


Quem souber identificar pessoas nas fotos abaixo ou tiver fotos históricas, favor entrar em contato com o autor do livro "Itapetininga" através do e-mail vieira.sor@terra.com.br.



Grupo escolar de Guareí. No alto, podemos identificar os professores da esquerda para a direita: Alceu Pimentel, Hélio de Moraes. Ao lado também está Laelson. Abaixo, conseguimos identificar as professoras Ziza Cassiacarro, Lúcia (filha do Prof. João Alcindo Vieira), Amélia Correa Franco Mello (mãe de Afrânio Franco de Oliveira Mello) e Ruth Tatit Ferraz
Antenor de Oliveira Mello Júnior (pai de Afrânio Franco de Oliveira Mello) e seu carro DKW. Foto de 1969
Casal Bataclã - Cida em 1971
Casal Bataclã - Cida em 1971. Olinda, irmã de Cida
Casal Bataclã - Cida em 1971

Família Oliveira Mello em 1951

No alto, o casal Antenor-Amélia. Filhos do referido casal, as crianças são Agnaldo, Annita e Afrânio que estão ladeando o casal sentado Antenor-Alzira. Antenor e Alzira são pais de Antenor que se casou com a professora Amélia Franco

João Braunílio, Vicente Arruda (antigo dono da empresa de ônibus Itapetininga-Guareí e vice-versa), Juvenal Augusto Soares ou Nhô Vena, Prof. João Alcindo Vieira, Antenor de Oliveira Mello Júnior e Sílvio Vieira de Andrade. Ida a São Paulo para falar com o governador sobre a estrada Guareí-Itapetininga e vice-versa
Casal Sílvio - Filomena em 1971
Casal Sílvio - Filomena em 1971
Casal Sílvio - Filomena em 1971

 

 

Atenção

 

Para voltar ao ponto inicial onde está a apresentação de todas as obras do autor, clique aqui

 

 

 

vieira.sor@terra.com.br

© Copyright 2017 - Todos os direitos reservados

Sorocaba, São Paulo, Brasil